quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Linguagem Corporal


  •    A Linguagem Corporal: Comunicação não verbal

A linguagem corporal é forma de comunicação não-verbal, abrange principalmente gestos, posturas expressões faciais, movimento dos olhos e proximidade entre locutor e interlocutor. Os gestos e as expressões faciais, falam muito mais que mil palavras, está linguagem pode ser utilizadas; gestos culturais, gestos de esporte, leitura etc...


  • Tratamento do corpo antes das aulas (Linguagem Corporal)


Com a influência da sociedade, cria-se um padrão, de crenças, valores, religião, etc. Sendo que eles interferem rigorosamente na vida de cada cidadão, dependendo do contexto social que esteja inserido. Em meio ao senso comum não compreendemos, não entendemos, não escutamos a linguagem do corpo, mantemos um padrão rígido estabelecido pela sociedade, fazendo que o corpo sofra, todos os tipos de opressão, mal sabendo o que isto pode acarretar. 


  • Tratamento do corpo depois das aulas (Linguagem Corporal)


Logo após disponibilizado o conhecimento sobre a linguagem do corpo, nosso ponto de vista mudou, quebrando o padrão e ideias refeitas ao mesmo.
Hoje observamos que o corpo tem necessidades e seus limites, e se comunicam para melhor aproveitamento e bem estar, assim seguindo seu ritmo próprio e interagindo com sua mente.



  • Atividades em que a Linguagem está presente



Está presente em várias atividades e para todas as crianças, mantendo a inclusão social, escolar e outros. Exemplos: "MOTORES ADAPTADAS PARA DEFICIÊNCIA VISUAL, DEFICIÊNCIA AUDITIVA, DEFICIÊNCIA FÍSICA, MENTAL (INTELECTUAL), ESQUEMA CORPORAL, LATERALIDADE, TEMPORAL, COORDENAÇÃO MOTORA FINA, RITMO E EQUILÍBRIO.





Ambiente de Aprendizado

"Desenvolvimento dos Alunos"









Autora: Viviane Moreira dos Santos




 Aulas de Expressão Corporal






Autora: Stephany Dórea Muller






Autora: Jessica Priscila de Souza dos Santos

  • Aula de Expressão Corporal Educação Infantil



Autora: Jessica Priscila de Souza dos Santos

Entrevistas

“A linguagem está presente em diversos e varios lugares”

O Professor de Scientific Hapkido System, Luciano Pereira Carvalho, 1 Dan Faixa preta.Faz sua contribuição para nossa pesquisa.

Sou professor de “Artes Marciais”, a linguagem corporal é essencial em nossas vidas. É através desta que fazemos a comunicação não verbal, ou seja, gestos, olhar e movimentos.
Aplico em minhas aulas está linguagem, que são representadas por movimentos circulares, posturas, expressões facial e corporal.
Antes não mantinha minha postura corretamente, não cuidava do corpo e sua necessidade. Descobri a real necessidade quando me depare, com problemas de obesidade. Assim reavalie tudo que fiz ate aquele exato momento e recomecei, mudei minha postura, minhas expressões, me relaciono melhor com as pessoas.A cada dia esta linguagem e necessária na vida das pessoas para saciar nossas frustações, por estarmos num mundo difícil sem compaixão com os outros, e com a linguagem corporal unimos nossos egos mesmos sendo de classes sociais diferentes.
                   " A prática dos movimentos"


video
                             trabalha na confederaçao Brasileira de Scientific Hapkido System
                                               link:http://www.physicaltiger.com.br/
 
Autora: Viviane Moreira dos Santos.

 



Nome: José Ribeiro
Idade: 51 anos
O que faz? Mecânico de Produção.


1.Qual a importância da Linguagem Corporal para você?
Saber dosar os seus próprios limites, fazer com que o seu corpo obedeça os esforços e as resistências.

2.Como a Linguagem Corporal é aplicada na Capoeira?
É aplicada em todos os movimentos, desde o aquecimento, os exercícios, até no momento da ginga e as aplicações dos golpes.

3.Como você tratava seu corpo antes da prática deste esporte?
Dentro da normalidade , eu nunca fumei, nunca tomei bebidas alcoólicas, sempre na atividade desde os meus 10 anos de idade, já jogava bola, andava de bicicleta, trabalhava na roça com meus pais e irmãos.

4.Em que momento você descobriu a verdadeira necessidade desta linguagem?
Eu morava na Bahia, vim pra São Paulo com 15 anos de idade, o meu irmão mais velho praticava Luta Livre, eu fui praticar também, depois de 1 ano e meio conheci um professor de capoeira e fui treinar na academia dele, pratiquei 9 anos de Capoeira. 
Depois parei e fui praticar KARATÊ. Pratiquei 4 anos depois parei e fui praticar capoeira de novo aonde sou e fui contra-mestre.
Na verdade não houve uma necessidade mas sim uma paixão de praticar a arte da capoeira, porque quando vi alguns capoeiristas fazendo o jogo, eu gostei muito e falei : - Vou praticar capoeira.

5.Como você descreveria os benefícios que a Capoeira lhe proporciona referente à Linguagem Corporal?
Em primeiro lugar uma resistência física maravilhosa, coordenada, ágil, etc.
E depois uma postura formidável, músculos fortes, facilidade pra tudo que podemos imaginar a agilidade que adquirimos é impressionante, até mesmo para ajudar nos outros esportes.

6.Quais seus planos para fazer com que a Linguagem Corporal pertença à seu dia-a-dia?
Os planos é pedir a Deus que me dê muita saúde pra estar sempre praticando.
Seja apenas uns exercícios físicos, ou ainda a jogar capoeira. Nunca o sedentarismo, por que o nosso corpo precisa de exercícios, para estarmos sempre dispostos. E tomar muita água.

Autora: Luciana Gomes da Silva.


A Linguagem corporal e sua contribuição



  • A linguagem corporal é de suma importância para nos acadêmicos, esta disciplina comporta a linguagem não verbal, através dos gestos e expressões. Ela é um complemento da linguagem verbal, deixa claro o que o individuo quer passar. 
Na minha infância, a relação que eu tinha com meu corpo, era totalmente deferente de hoje, não valorizava meu corpo, acaba excedendo os meus próprios limites e assim desencadeando o cansaço físico e mental.
Hoje com o curso disponibilizado na grade curricular da nossa universidade, que parece mais com um ambiente familiar e aconchegante, nos permitiu ter contato com a disciplina, e, contudo, explorar tudo o que ela abrange. Aprendi a respeitar o meu corpo, sempre ouvindo as suas necessidades, desenvolvi minha criticidade, avalio melhor as ações e a desenvoltura das pessoas e o seu papel perante a sociedade.
A minha postura com pessoa, profissional e como aluna, mudou completamente, pretendo transferir a todos a minha volto este conhecimento, passando adiante está experiência que marcou cada uma de nos aqui presente.

Autora: Viviane Moreira dos Santos.



  • A descoberta da corporeidade foi realmente importante na construção da minha vida acadêmica.
As aulas de linguagem corporal fizeram com que eu percebesse que corpo e mente andam juntos e que a relação entre ambos move a interação do "eu" com o mundo.
 Com o decorrer das aulas fui absorvendo o conhecimento sobre o assunto que envolve vários aspectos da vida humana, como os costumes de cada povo, as tradições construídas historicamente e atividades físicas, tudo está ligado à corporeidade, à atividade corporal ligada a mente. Quanto mais conhecimento sobre o assunto eu absorvia, percebia o quanto a matéria de linguagem corporal é importante para a formação acadêmica de um pedagogo. 

Autora: Stephany Dórea Muller.


  • Quando criança eu só pensava em brincar, minhas brincadeiras preferidas eram: esconde-esconde, queimada, pular corda, amarelinha, pega-pega,  dançar junina não me importava em tomar água e respeitar os limites do corpo.
Já na adolescência os professores deixavam a gente fazer o que queria, metade da sala brincava de futebol, a outra handeboll, os professoras não estimulavam as atividades físicas.
Hoje a minha relação com o corpo é melhor, tenho limites ao praticar esforço físico , e com minha postura.
Na aula de Linguagem Corporal eu aprendi a me alongar, a aplicar atividades em todos os tipos de criança, e ensiná-las a se expressar.
A Linguagem corporal é de grande importância, para acabar com complexos, e fazer com que a criança ou o adolescente consiga entender os limites do corpo.
As atividades práticas foram bem legais, o que eu mais gostei foi a história animada, estimulou bem minha coordenação motora.


Autora: Jessica Priscila de Souza dos Santos.




  • Como eu percebi meu corpo na escola quando criança e adolescente.
A escola muitas vezes não estimula que o aluno descubra seu corpo, geralmente na escola o corpo é submisso, mas este conceito vem sendo aos poucos modificado.
Percebi meu corpo nas aulas de brincadeiras cantada e resgate e resgate de brincadeiras de rua quando comecei a frequentar o primário aos 7 anos de idade.
Pelo fato de trabalhar coordenação motora e movimentos no geral, que muitas vezes temos que desenvolver quando criança.
Na adolescência tive grandes estímulos para participar das atividades de Handboll nas aulas de Educação física.
O esporte faz bem para saúde e nos habitua as regras.


  • Como eu vejo a minha relação com o corpo hoje.
Hoje tento relacionar-me com meu corpo da melhor maneira possível, no trabalho tento preservá-lo seguindo as orientações de como executar o trabalho com segurança.
Seguindo as normas, a posição correta de como pegar um peso, a postura, a ginástica laboral e sempre atenta para previsão de doenças que podem ser adquiridas no trabalho como a LER e a DORT.
No cotidiano tanto mantê-lo saudavelmente, nunca tive problemas ou complexos com meu corpo.


  • O que eu aprendi na disciplina de Linguagem Corporal.
A disciplina de Linguagem corporal teve grande importância, pois antes de participar das aulas a maneira de como usar e enxergar o corpo era outra.
Muitas vezes deixamos que a sociedade rotule o comportamento, a utilização e as expressões do corpo.
O corpo por sua vez sente-se maltratado, ignorado e desprezado, a disciplina veio então para nos mostrar a melhor maneira de tratar nosso corpo.
Em busca de um corpo perfeito existem pessoas que se sacrificam e acabam por esquecer que nosso corpo é perfeito. E que não existe nada que possamos comparar à ele, sua perfeição supera as máquinas, pois nosso corpo funciona de forma magnífica.
Após as aulas podemos avaliar que elas contribuíram para mudar esses comportamentos, além de trazer mais conhecimento.
Mudar a visão e práticas que eu tinha do cotidiano. A maneira de avaliar o trabalho que realizo com Maquiagem Artística Infantil também foi modificada.
Antes compreendia apenas a satisfação da criança em ter seu resto pintado pelo fato de trabalhar a ludicidade.
Agora vejo esse trabalho como uma forma de a criança utilizar com expressividade e emoção, contribuiu para que externize seus sentimentos de forma considerável, colaborando na sua formação e desenvolvimento.
A disciplina contribuiu para ressaltar os pontos fortes do corpo, que às vezes não notamos como por exemplo, muitas vezes falamos tanto sem utilizar uma palavra. 
E nosso corpo que traduz nossos emoções e pensamentos, falamos por meio dele até quando não queremos. Quando notamos já transpareceu a frustração, a alegria e os mais variados sentimentos.
Até mesmo as mais modernas máquinas não conseguem alcançar a mesma mágica que é o funcionamento do corpo humano.
Ao contrário das máquinas nossas "peças" não podem ser trocadas após sofrer desgastes, então devemos utilizar recursos para preservá-las.


  • Como eu vejo a importância da Linguagem Corporal na escola.
O trabalho que realizo com Recreação e Lazer as aulas veio para acrescentar e colaborar um pouco mais com os assuntos que já conhecia.
A disciplina me deu uma visão mais ampla de como colaborar para que o adulto ou a criança que estão sendo recreados utilize melhor seu corpo, podendo levar isto para escola.
Na escola devemos ressaltar a importância da expressão e valorização do corpo na nossa sociedade. Agora compreendo melhor a importância de usar e abordar a corporeidade nas vivências escolares e fora dela.
Tive a oportunidade de participar de um projeto em 2008, que foi desenvolvido nas escolas municipais da cidade de Guarulhos.
O estágio fazia parte do curso de Recreação e Lazer ministrado pela secretaria de Esportes da cidade.







A disciplina de Linguagem Corporal é indispensável para o curso de Pedagogia, já que o tempo todo o aluno se expressa através do corpo.

  • Como foi meu desempenho nas atividades práticas.
Meu desempenho nas atividade práticas foram prazerosas, sempre em busca de conseguir assimilar o que era proposto.
A atividade que mais gostei foi a atividade motora adaptada para deficiência mental, onde meu grupo explicou a deficiência e aplicou uma atividade adaptada para esta deficiência.
Gostei bastante das atividades apresentadas pelos outros grupos, acredito que as apresentações das atividades adaptadas foi uma das aulas práticas mais interessantes.

Autora: Luciana Gomes da Silva